Último Apelo

Último Apelo

Quero que saiba meu amor, que você foi a pessoa mais importante e querida para mim um dia. E em nome de todo esse carinho, peço que me deixe ir. Não me procure mais, não me chame quando me ver, apague meu nome do seu celular, porque há muito tempo não te conheço mais.

Se me chamar, ligar, gritar ou fizer qualquer coisa, não vou te ignorar, mas por dentro o farei sempre, ou até que adormeça minha dor. Você quis rumar esses caminhos sem volta, quis partir meu coração sem se importar se o deixaria partido. Então não volte, não exija dessa pobre alma que tanto te amou um dia o que já não é capaz de te dar.

Queria eu não ter sido tola o suficiente de pensar que serias capaz de cuidar de um bem tão precioso, quanto o sentimento mais sublime que alguém poderia te dar. Mas agora eu estou aqui e você ai, e quero que continue assim. Peço que atenda esse meu último apelo, essa minha última súplica dirigida a ti.  Ignore que um dia estive em suas mãos, esqueça que meu sorriso já abriu por ti, tire tuas mãos da minha cintura e me permita caminhar sem tua sombra em meu olhar.

Refiz minha vida completa, mas ainda faltam alguns reparos.

Não venha tentar preencher essas falhas que causaste em meu peito. É o meu último apelo.

Ele quem mesmo? – Martha Medeiros

 

Depois de um bom tempo dizendo que eu era a mulher da vida dele, um belo dia eu recebo um e-mail dizendo “olha, não dá mais”.
Tá certo que a gente tava quase se matando e que o namoro já tinha acabado mesmo,mas não se termina nenhuma história de amor (e eu ainda o amava muito) com um e-mail, não é mesmo?
Liguei pra tentar conversar e terminar tudo decentemente e ele respondeu “mas agora eu to comendo um lanche com amigos”.
Enfim, fiquei pra morrer algumas semanas até que decidi que precisava ser uma mulher melhor para ele. Quem sabe eu ficando mais bonita, mais equilibrada ou mais inteligente, ele não voltava pra mim?
Foi assim que me matriculei simultaneamente numa academia de ginástica, num centro budista e em um curso de cinema.
Nos meses que se seguiram eu me tornei dos seres mais malhados, calmos, espiritualizados e cinéfilos do planeta. E sabe o que aconteceu? Nada, absolutamente nada, ele continuou não lembrando que eu existia.
Aí achei que isso não podia ficar assim, de jeito nenhum, eu precisava ser ainda melhor pra ele, sim, ele tinha que voltar pra mim de qualquer jeito. Decidi ser uma mulher mais feliz, afinal, quando você é feliz com você mesma, você não põe toda a sua felicidade no outro e tudo fica mais leve. Pra isso, larguei de vez a propaganda, que eu não suportava mais, e resolvi me empenhar na carreira de escritora, participei de vários livros, terminei meu próprio livro, ganhei novas colunas em revistas, quintupliquei o número de leitores do meu site e nada aconteceu.
Mas eu sou taurina com ascendente em áries, lua em gêmeos e filha única. Eu não desisto fácil assim de um amor, e então resolvi que eu tinha que ser uma super ultra mulher para ele, só assim ele voltaria pra mim. Foi então que passei 35 dias na Europa, exclusivamente em minha companhia, conhecendo lugares geniais, controlando meu pânico em estar sozinha e longe de casa, me tornando mais culta e vivida. Voltei de viagem e tchân, tchân, tchân, tchân: nem sinal de vida.
Comecei um documentário com um grande amigo, aprendi a fazer strip, cortei meu cabelo 145 vezes, aumentei a terapia, li mais uns 30 livros, ajudei os pobres,rezei pra Santo Antonio umas 1.000 vezes, torrei no sol, fiz milhares de cursos de roteiro, astrologia e história, aprendi a nadar, me apaixonei por praia, comprei todas as roupas mais lindas de Paris.
Como última cartada para ser a melhor mulher do planeta, eu resolvi ir morar sozinha. Aluguei um apartamento charmoso, decorei tudo brilhantemente, chamei amigos para a inauguração, servi bom vinho e comidinhas feitas, claro, por mim, que também finalmente aprendi a cozinhar.Resultado disso tudo: silêncio absoluto.
O tempo passou, eu continuei acordando e indo dormir todos os dias querendo ser mais feliz para ele, mais bonita para ele, mais mulher para ele. Até que algo sensacional aconteceu. Um belo dia eu acordei tão bonita, tão feliz, tão realizada, tão mulher que eu acabei me tornando mulher demais para ele.

 

Ele quem mesmo?

Aquele Mundo

Essa foi a segunda vez que ouvi seu nome e senti ciúmes de você. A primeira vez, confesso que não prestei muita atenção talvez seja por isso que o impacto não tenha sido tão grande. Mas desta vez foi diferente. Uma pontada que apertou o meu coração, que me deixou por alguns segundos sozinha, com falta de ar e sem saber como reagir. E foi ai que falei pra mim mesma: “OPA! Hora de parar!” E pela primeira vez deixei a razão falar mais alto do que o meu coração.

Afinal, não era esse o nosso combinado? Você lembra? Naquele mundo que criamos para nós, sempre valeu de tudo: as conversas, o carinho, a cumplicidade, a mão estendida e as mensagens na madrugada. Só não valia mesmo, se apaixonar.

Valia dormir de conchinha, valia beijo de boa noite, de bom dia, valia até você fazer cafuné na minha cabeça. Só não valia se apaixonar.

Valia também comer bolo de chocolate, valia assistir a novela, assisir jogos de futebol, valia até passar o dia dos namorados juntos. Só não valia mesmo, se apaixonar.

Valia dormir apenas algumas horinhas, mesmo tendo que acordar precisamente as 05:45 da manhã  depois de noites quentes de amor (e que noites!). Valia acordarmos cansados de termos dormido tão pouco e você passar o dia com o cheiro do meu perfume em você e eu o dia com o seu perfume na casa toda. Mas só não valia se apaixonar!

Valia eu adormecer no quentinho do seu peito, valia o modo como a gente se encaixava para dormir de um modo perfeito. Valia o beijinho de boa noite que você nunca percebeu que eu te dava pois, sempre acabava dormindo antes de mim para perceber. Mas eu dava! Ah! E também te cobria direito quando via que você estava dormindo e sentindo frio. Mas não, não valia se apaixonar.

Valia a ausência aos finais de semana, valia ter outras pessoas pra sair, outras bocas para beijar, só não valia não ser sério, nada a mais do que o momento que estávamos juntos.

Você passava da porta de casa e de certo modo eu sabia que parte daquilo tudo, acabava ali. E acabava sempre com o gostinho de “quero mais”! Você sabe! Danado esse “quero mais” que sempre fazia você largar tudo pra ficar comigo. Tão danado, que por culpa dele resolvi que eu deveria fazer esse mundo que criamos para nós dois parar de girar.

Talvez essas nossas regras tenham impedido que você me conhecesse por completo. Pois então fique sabendo: eu odeio perder. E esse “quero mais” com o tempo passou a ter outro significado: passou a significar te querer toda hora e só pra mim. E foi ai que vi que nessa eu ia perder, afinal, no nosso mundo perdia quem se apaixonava. E ai eu recuei.

Precisei de coragem para fazer esse mundo que criamos parar de girar, para eu poder viver em um mundo só meu. E aqui neste mundo que vivo, largamos tudo pra ficar com quem nos quer bem. E é uma pena que você não faça parte dele, faz somente do nosso que agora parou de girar.

E caso você ainda tenha alguma dúvida: Sim! Eu teria largado tudo.