AQUELAS coisas que não me contaram sobre a gravidez!

AQUELAS coisas que não me contaram sobre a gravidez!

Eu já li pelo menos uns 15 textos exatamente com esse tema “Coisas que nunca te contaram sobre a gravidez” e sinceramente, tudo que é falado é metade do que realmente acontece com a gente. Aqui, entre as minhas amigas eu costumo fazer um “maternidade real” e as vezes por Whatsapp conto algumas coisas que passam comigo, caímos na risada (algumas até trágicas rsrs), mas é sempre bom ser verdadeira. Eu nunca, nunca entendi porque esconder esses tipos de experiências, mostrar só o que é lindo ou só o básico desses 9 meses, sem contar que 99% das minhas amigas que já tiveram filhos simplesmente esqueceram tudo que passou com elas. Por exemplo, acompanhei amigas grávidas que enjoaram muito e que agora falam pra mim “Ah nada, quase não enjoei”, então achei melhor fazer um sincerão vai que eu pego essa amnésia ai também!

1- Enjoos
Sim, eles existem! Se você não passou por eles está na hora de Glorificar de pé. E não é um enjoozinho leve que você fica numa boa, igual as vezes acontece quando você come algo ruim, ou acorda mesmo de mal estar. É uma bomba, que vem do nada, te destrói. Você não tem pra onde correr e nem o que tomar. Fora os vômitos, que as vezes não tem nem como segurar. E ainda por cima tem que aguentar as pessoas “com 3 meses vai sair como uma luva”, bom, no meu caso só passou no final do 5o mês e até hoje tem dias (hoje foi um deles) que acordo com esse mal estar horrível.

2- Cansaço
É verdade sim, quando a gente descobre que está grávida logo no começo, aparece um cansaço avassalador, não é uma coisa de leve é algo que não da para manter os olhos abertos, uma vontade de ficar jogada no sofá o dia inteiro. Isso dura pelo menos uns 3 meses, e é assustador, ainda mais no meu caso que sou dessas que 3 da manhã resolve faxinar a casa e as 8 está de pé.

2- Alergias
Dizem também que na gravidez podemos desenvolver alergias que nunca tivemos. Eu como fui premiada, logo no 5o mês peguei uma alergia nos olhos muito ruim, até hoje não sei o que causou, se foi algum alimento, ou suco, mas foi horrível. É sempre bom ficar de olho nos alimentos e produtos que a gente usa, por que como grávida não pode tomar remédio é tudo mais complicado.

3- Sangramento Nasal
Oi? O que? Pois é, mais comum do que se imagina e obviamente eu tive (e ainda tenho de vez em quando), como o nosso fluxo sanguíneo aumenta bastante pode ser que ocorra a ruptura dos vasinhos do nariz e ai é um mar de sangue, de verdade! Comigo na maioria das vezes acontecia no banho ou na parte da manhã, a gente assusta mas depois acostuma. Ainda acontecem mas agora são ocasionalmente. Caso seja muito constante e muito forte pode ser que a grávida precise de uma cauterização simples nas veias, procedimento super rápido de ser feito.

4- Azia
Para ser bem sincera, eu não sei o que é, por que essa eu não tive, mas nunca tive mesmo não estando grávida, mas vamos adicionar a lista de sintomas por que as pessoas costumam ter bastante.

5- Desejo de Grávida
Também não tive tantos e coisas esquisitas, tive algumas vontades de comer milho, pipoca doce, canjica, muita coisa envolvendo milho, mas nada de tijolo kkkk. Mas é um item importante da lista!

6- Seios
Nossa!! Sim, sempre soube que eles aumentavam e que escureciam. Mas meu Pai amado! Não é assim uma escurecidinha é uma coisa que parece que tiraram o nosso peito e colocaram outro de lugar. E não é só o peito “peito” que cresce a auréola também, assustadora o tamanho que fica! E a dor? No começo da gravidez é uma dor absurda, de não conseguir encostar, depois da uma aliviada, mas depois dói tudo de novo!

7- Escurecer
É minha gente, já que é um sincerão, não é só o peito que escurece não viu? Umbigo escurece, axilas (as minhas bem pouco mas noto a diferença) e também alguns “orifícios” hahaha do corpo. Tudo “ali embaixo” muda, tanto na parte da frente como na de trás. Aposto que nenhuma amiga te falou isso né?

8- Pubis
Ainda nos assuntos “lá de baixo”, outra coisa que ninguém me contou é que quando a gente chega no final da gravidez o ossinho do pubis dói, mas dói muito e dói o dia inteiro, acordada, dormindo, sentada, andando, a sensação é como se alguém tivesse com um hematoma desses roxos ali e ai alguém com o dedo apertando super forte o dia todinho! Ainda nessa região, outra coisa importante é que principalmente as grávidas do verão como eu, a gente fica suando o dia todo, já não basta o corpo todo mas “lá” fica super suado também.

9- Xixi
Essa é fácil, todo mundo sabe que grávida faz muito xixi. MUITO! Muito mesmo. Mas alguém te falou que as vezes escapa que você nem percebeu? Esses as vezes, são muitas vezes! Que você só percebe quando vai no banheiro e ai vê que “molhou”? Não é fácil não!

10- Sono
Se tem uma coisa que eu odeio é essa frase “aproveita para dormir agora antes do bebe chegar”. Really? Vamos lá, nos primeiros meses você ta enjoada e com dor nos seios, nos outros o xixi aumenta, depois a dor nos seios volta, ai a barriga vai ficando cada vez maior e mais difícil de se mexer na cama deitada. Dormir? O que é isso? Eu nunca fui de dormir muito, no máximo 5 horas por noite, se dormir 6 horas ja acho até que estou doente. Mas, acho que não dormi mais do que 4 horas por noite depois de engravidar, acordo absolutamente a noite todinha e quando finalmente consigo dormir, é hora de fazer xixi de novo, ou o bebê resolve mexer e mudar de posição. Então, PAREM de falar isso para as mães.

11- Dor nas Costas
No comecinho da gravidez é normal sentir uma dor nas costas sutil, mas a partir do 7o mês parece que um caminhão passa em cima da gente todos os dias. Não é uma dorzinha, é DOR, dor de verdade. As costas doem, as pernas doem a vontade que tenho é que alguém me puxe cada um em um braço e cada perna até colocar tudo no lugar. Dizem que massagem ajuda muito, porém a maioria dos lugares sérios, só fazem em grávidas a partir do 6o mês com autorização do médico.

12- Cansaço Parte 2
Depois de um certo tempo tudo cansa, andar cansa, sentar cansa, deitar cansa, tudo cansa! Tem dias que da vontade de correr a São Silvestre, mas ai só de você trocar de roupa já acabou a energia. Banho então, é a chave de ouro para acabar a energia, ainda mais se você for como eu que sempre seco o cabelo, então o banho já considero como um exercício físico aqui em casa. E ai você olha no APP da gravidez ele diz “Se não está se sentindo bem, vá caminhar!”, da vontade de jogar o celular longe, quem fica bem caminhando nesse estado?

13- Mexidas do Bebê
Eu nunca disse que seriam só coisas assustadoras no post né? As mexidas são maravilhosas, realmente é uma sensação única que aumenta cada vez mais. Com 15 semanas comecei a sentir o Bruno mexer e com o passar das semanas foi ficando cada vez mais intenso. Mas, ninguém tinha me avisado que é só a gente pegar o celular para filmar que eles param! Como podem ser tão geniosos?

14- TPM
Como assim? É, todo mundo fala que a gente fica sensível, que chora por tudo. TPM é nível UM e a gravidez é tipo nível DUPLO TWIST CARPADO em variação de humor. Sim, realmente ficamos emotivas! Mas ninguém me disse que emotiva seria pouco, comparada a versão de Darth Vader misturada com Godzilla que de vez em quando eu me transformo. A irritação aumenta, a paciência diminui. Coitado do marido, que não reclama em respeito da situação, acho que a única coisa nesses 8 meses de gravidez que ele disse UMA vez foi “Trocou a ferradura hoje?”. Até ele não aguentou!  Hahaha E ai você percebe o quanto que exagera na dose, apesar de algumas vezes merecer.

15- Peso
Vamos pular para o próximo!

16- Planos
Ninguém me contou que é impossível fazer planos grávida. Um dia estamos maravilhosamente bem, no outro um bagaço. Nada muito específico é planejável. As vezes parece até desfeita, mas realmente não é. Ai o tempo vai passando e eu começo a ficar desesperada pensando “Nossa, preciso ir em tal lugar, por que quando o bebê chegar não vou conseguir ir” então parece que você é uma bomba relógio cheia de objetivos e todos muito difíceis mesmo sendo fáceis.

17- Mão na Barriga
DETESTO! Se tem uma coisa que não gosto é isso. Mal deixo as pessoas que tenho intimidade passar a mão na minha barriga, imagina desconhecidos? Que mania é essa das pessoas virem te acariciar! Acho muito estranho, muito mesmo. Nunca fui de passar a mão na barriga de ninguém, nunca entendi isso, gente É BARRIGA! OK?

18- Dores
Nunca ninguém tinha me dito que gravidez envolvia tanta dor, não só dor do parto, mas dor em geral. É dor nos pés, dor nas pernas, dor nas costas, dor na barriga, no pé da barriga, dor na costela, algumas cólicas, pressão que cai, náuseas, enjoos, seios doloridos. Poxa, é uma lista tão grande!

19- O mesmo assunto
As pessoas, em todo lugar, em todo momento vão sempre te fazer as mesmas perguntas: “é menino ou menina?”, “quanto tempo você está?”, “é pra quando?”, “vai ser normal ou cesárea?”, “Qual é o nome?”, “você está enjoando muito? (isso vão te perguntar desde o dia da descoberta até a hora do parto). Da vontade de gravar num gravador! Gente, as grávidas também podem falar de outros assuntos tá?

20 – Estrias
Se você tiver pré-disposição genética, você vai ter estrias. No peito, na barriga, nas costas ou em todos esses lugares. Não adianta se lambrecar de óleo de coco e o escambau. Se está escrito no seu código genético que você vai ter estrias, Maktub! Aqui não tive muitos problemas mesmo eu sendo gordinha, mas optei pelos produtos mais indicados do mercado e ainda bem que deram certo!

21 -Aberta a Mudanças
Nada, nada conseguimos planejar. É importante estarmos abertas as mudanças, não adianta fixar em parto normal, em cesária, em amamentar ou não, em educação, florear tudo, pois no dia a dia tudo é muito diferente. Eu por exemplo sempre falei “se um dia tiver filho vou fazer cesária”, porém no minuto que descobri que estava grávida tive a certeza que queria parto normal. Mas ainda não pari! Então não adianta insistir para se frustar depois. O que vier, o que for para o bem, o que não estressar e o que não te machucar é sempre a melhor opção, seja de parto, de amamentação, de educação, de dia a dia.

22- Gente Chata
Sempre soube que a gravidez vinha com um pacote extra de “pessoas que adoram dar pitaco”. E não é pouco, é pitaco todos os dias, todas as horas vindo de todas as direções. O que me ajudou muito foi, eleger DUAS pessoas que amo, que tem experiência e somente dar ouvidos a elas e tirar minhas dúvidas também. O resto é resto, falam e entra por um ouvido e sai pelo outro. Para todos é muito fácil falar “Ahh manda a mer**!” mas quando você sente na pele, não é tão fácil assim. Então saiba que, quando você engravida, todos os palpiteiros engravidam junto e eles tem sempre a melhor opinião, sempre sabem mais, sempre tem uma especialidade. Respira fundo e vamos que vamos!

 

E agora? Ah agora vem o amor!

Junto com toda a lista, vem um sentimento mágico, um AMOR, uma esperança. A gente se sente amada, bem cuidada, por que todo mundo respeita uma grávida. E ai mesmo estando naqueles dias que tudo da errado, nos sentimos especial. E fora isso, são as horas e horas do dia pensando nessa vida que estamos gerando dentro da gente. Eu até hoje não consigo acreditar de verdade que tudo isso está acontecendo. Mas ao mesmo tempo lembro que não é fácil, e não é fácil mesmo tudo isso.

A única coisa que digo de coração é, se você é daquelas que teve uma gravidez linda e dançou enquanto tinha contrações no hospital, ótimo! Mas não esqueça que pelo menos 2 ou 3 itens ou até mais dessa lista passaram por você! A maioria das pessoas sonham em engravidar, tem isso como meta e sei que é difícil para algumas pessoas assumir que “nem tudo são flores”, mas o que mais senti falta em todo esse tempo é das mães se unirem. Não só criticar, não só dar palpites, não só desejar que a amiga/conhecida tenha o mesmo sintoma que você teve. Cansei de ouvir “Nossa, se prepara que isso vai ser pior, você não viu nada ainda” (e na maioria das vezes não foi pior assim). Esse não é o melhor jeito de compartilhar experiências! Resolvi escrever esse post e contar tudo que realmente não me contaram e não vi nenhum lugar falando disso, isso não quer dizer que todas as grávidas tiveram, ou vão ter, são as minhas experiências e pelo contrário, desejo que você tenha somente um item dessa lista durante toda a gravidez!

Também descobri que está tudo bem não amar isso tudo de gravidez!

As pessoas parecem ter esse desejo de lembrar as mulheres grávidas que é a melhor experiência que se pode ter. Acho que por isso que minhas amigas esqueceram de tudo que passaram! Trazer vida ao mundo é algo magnífico, mas isso não significa que a gravidez é maravilhosa. Não há nenhuma dúvida de que o que está acontecendo em seu corpo é realmente incrível, mas seria bom ter um conselho sobre o quão desagradável isso pode fazer você se sentir às vezes. Não me acho uma péssima mãe, pelo contrário, já amo meu filho absurdamente e nem consigo pensar no tamanho do amor que ainda vai crescer, porém quero é ter meu filho nos meus braços e viver a vida com ele aqui, sem ter amado tudo que vem junto com a gravidez. Sempre digo, que por mim, a gravidez poderia durar 1 mês e ótimo! Deus, ajuda nóis!

Como descobri que estava grávida?

Como descobri que estava grávida?

Aquela história que todo mundo pede para ouvir, principalmente quem não tem filhos ou não pretende ter e quer saber todos os sintomas para ter certeza que não está!

Quem conhece meu marido sabe que ele sempre quis ter filhos e quem me conhece sabe que eu nunca quis, nunca foi meu sonho e nem meu desejo ser mãe. São razões minhas e infinitas que agora não fazem mais sentido expor. E estávamos felizes com essa escolha, planejando morar com muitos cachorros pro resto da vida. Porém há pelo menos 1 ano e meio eu já não usava mais anticoncepcional, não foi a primeira vez que parei, já fiquei 3 anos sem usar, também por questões pessoais e não por que mudei de ideia e queria ter filhos, não queria mais ter hormônios me controlando e ter mais controle e conhecimento sobre o meu próprio corpo nesta área os argumentos são tantos que não sei nem por onde começar, mas hoje não tomo absolutamente nenhum hormônio. Sou do tipo de pessoa que não consegue fazer um tratamento a base de remédios por muito tempo, tomar remédio me incomoda profundamente.

Então veio a cegonha e…

Não é bem assim né? Poderia contar um milhão de histórias de como aconteceu, mas essa parte vocês já sabem, então vamos ao decorrer da história. Eu sempre marquei meu ciclo em um app chamado “CLUE”, também não acredito em tabelinha, em temperatura e bla bla bla, apenas marcava para saber o dia exato que meu ciclo ia aparecer e ele sempre aparecia. Sempre fui muito regulada. Até que… em Agosto achei que “por preguiça” não tinha marcado a data do meu último ciclo e fiquei esperando pra ver se lembrava. Então cheguei a conclusão que em Agosto eu tinha menstruado e que realmente esqueci de marcar no app (nessa hora nem passou pela minha cabeça gravidez) e então chegou Setembro, foi neste mês que queria saber o dia certinho que viria meu ciclo, porém eu não lembrava por nada. Então, por insistência de uma grande amiga (oi, Paula!) fui na farmácia e comprei um teste.

Eu estava tão certa que não estava grávida, que era besteira, que comprei um teste no meu horário de almoço e fiz no banheiro da firma, assim, sem cerimônia e sem contar pra ninguém. Até que… DEU POSITIVO! Sai de lá correndo, peguei minhas coisas, sem muita explicação e fui embora (coitado do meu sócio que ficou hiper mega preocupado), mas eu estava tendo um ataque de pânico, o que nunca havia tido antes na vida. Na volta para casa, desesperada e não satisfeita ainda comprei mais 2 exames (negação total), todos positivos, inclusive fiz questão de comprar um mais caro e outro mediano, pois não botei fé no baratinho que deu positivo mais cedo.

Não satisfeita ainda (pois é) ainda pedi para minha amiga (oi, Nadia!) me levar para o hospital para fazer o Beta HCG e recebi a notícia que mais verdadeira impossível naquela altura do campeonato, era positiva. O médico comemorava, a Nadia comemorava e eu catatônica. Nessa época já estava grávida de pelo menos 1 mês, hoje estou com 18+.

É tanta coisa que passa pela nossa cabeça, “e agora?”, “como vai ser?”, “e o trabalho?” (afinal tenho uma empresa e ela precisa de mim pra existir), “não vou emagrecer mesmo agora!” (sim, isso passa pela cabeça de toda gordinha, não podem negar! kkk). Não tive aquela reação esperada que todo mundo quer ouvir, fiquei literalmente catatônica e demorei algumas semanas, sim semanas, para absorver tudo que estava acontecendo e como seria nossa vida daqui pra frente. Um mix de ansiedade com nervosismo… hoje a notícia já está mais do que clara e aceita, e amo meu filho mais do que tudo nesse mundo, mas a ansiedade e o nervosismo caminham lado a lado. É muita, mas MUITA coisa para absorver, mas é um sentimento incrível. Graças a Deus o Beto é um marido que me ajuda em absolutamente tudo e minha família está do meu lado com os braços estendidos para nos ajudar, isso ameniza um pouco as preocupações.

Agora voltando um pouco para o “eu não sabia que estava grávida” mas já estava há um mês, como poderia adivinhar? Eu jamais iria imaginar, mas estava exatamente com todos os sintomas possíveis de uma gravidez, mas nunca estive grávida antes para poder confirmar!

  1. Sono e cansaço IMPOSSÍVEIS de controlar: sou ligada no 22ov e não conseguia levantar do sofá para beber água, ou apertar o botão da máquina de lavar;
  2. Enjoos: estava tendo uns enjoos muito esquisitos, mas como sou enjoada por natureza achei que fossem “novos enjoos”
  3. Seios: os seios estavam enormes! Mas como eu estava esperando minha menstruação chegar, sempre achei que fosse por que ela chegaria;
  4. Cólicas: eu estava tendo umas cólicas muito estranhas, como “mini cólicas” em dias diversos;
  5. Atraso Menstrual: dããã

Agora estamos aqui, com um bebêzinho crescendo dentro de mim que chamará Bruno. Muita coisa mudando por aqui, muitos desafios, muita preocupação mas é uma nova fase e está sendo tudo muito positivo (tirando a parte dos enjoos que duraram 4 meses e as enxaquecas que voltaram a aparecer), mas não vejo a hora dessa fase começar para valer quando ele estiver nos nossos braços. Já tive tempo mais do que suficiente para estar amando essa ideia, mas do meu jeito “estranho de ser”, não curtindo muito as coisas “tradicionais” da vida (por exemplo: chá de bebê, chá de revelação…).

E tem o bichinho também que morde as mães e vem essa vontade de escrever, mas acho que descobri que é por que é tanta coisa nova, tanta experiência que da vontade de registrar para nunca mais esquecer. =)

 

Aviso: eu não vou fazer chá de bebê

Aviso: eu não vou fazer chá de bebê

Não sei que bichinho é esse que pica a gente, que quando nos tornamos mãe sentimos essa necessidade absurda de escrever. Cá estou eu, com essa novidade, no meu 4o mês de gravidez e com uma vontade imensa de contar um pouco sobre a minha trajetória, mas mais para frente contarei um pouco sobre como foi desde a surpresa da notícia até agora.

O que vim escrever hoje é sobre um assunto muito polêmico, que para alívio de uns (e meu também) e desagrado de outros: decidimos não fazer um chá de bebê (de fraldas, de grávida seja lá como é chamado). Uma das coisas que mais ouvimos quando engravidamos é o famoso “E aí? Quando será o chá de bebê?” e como a minha resposta é sempre o imprevisível “NÃO” as pessoas ficam mais assustadas ainda e ai vem logo os comentários do tipo “Por que não? Você vai ganhar tanta coisa!” ou “Não? Mas você ganha tanta fralda que não precisa comprar para um ano!” ou também “Não precisa fazer o chá com brincadeiras, pensa no tanto de coisa que você vai ganhar”. Resolvi correr um pouco sobre esse assunto…

Antes de mais nada, quero deixar bem claro que super apoio quem gosta, quem faz e vou em todos sempre! Mas claro que não é por que todo mundo faz que vou ter que fazer também né? Então amigas, podem continuar me chamando para o de vocês que irei com o maior prazer. Ah! Mas vamos deixar bem claro que as brincadeiras são MUITO, mas MUITO chatas. 

Sou sempre a primeira pessoa que gosta de estar perto de quem eu amo, quem me conhece sabe, minha casa vive sempre cheia, estou sempre muito bem acompanhada de amigos maravilhosos e pessoas que sempre quero por perto. Mas a questão do chá é uma coisa minha mesmo, primeiro por que nunca gostei de “pedir” as coisas, afinal, se engravidei, estou tendo um filho, acredito que devo assumir todas as responsabilidades, a começar pelas fraldas, utensílios e etc (mais uma vez, nada contra quem faz ok?). Então, realmente não gosto dessa coisa de chamar as pessoas “para ganhar presente”. Já não quis fazer isso no meu casamento, mas não tive escolha pois meu marido queria reunir os amigos para um Chá Bar, mas agora decidimos juntos não fazer o chá.

Eu acredito que as pessoas tem o direito de fazer escolhas e esse assunto pesou muito na minha cabeça esses dias, não sei se é por estar mais sensível a tudo ou por sempre pensar assim. Já fui chamada para chás absurdos, onde eu e meu marido tivemos que levar cerca de 4 itens para o bebê e além disso as fraldas, também já fui em chás em que a mãe estipulou a marca das fraldas (gente o bebê nem nasceu e oi?) e uma coisa que me pegou muito que refleti sobre, foi que de todos os chás que fui na vida, cerca de 98% nunca nem fui convidada pro aniversário de um ano da criança, mesmo sendo os amigos muito queridos e até mesmo os mais distantes. E sei que são pessoas que gostam muito de mim, mas não entendo a lógica, brincando ainda falei com algumas amigas que estavam comigo quando refleti “para dar presente e fraldas, eu sirvo, mas para comer coxinha, ninguém me chama!”. Além dessa questão de “convivência” muitas, mas muitas das coisas que se pede em um chá (quando não é só de fraldas) que muitos acham que são “essenciais” eu considero desnecessárias. E sim, depois de muita pesquisa, leitura e também vivência e convivência com amigos e a forma que fomos criados, os itens da “maioria” normalmente não se encaixam aqui no ambiente que queremos criar para o nosso filho. E sim, além das fraldas descartáveis, vamos tentar também as fraldas ecológicas. Faz parte da nossa rotina, do nosso dia a dia e também do esforço que estamos fazendo neste último ano com a diminuição do lixo aqui de casa.

Ai sempre vem o famoso “Ahhhh vocês vão ver quando ele nascer!”, gente sobre “pitacos” e “palpites” acho que é um bom assunto para um próximo post. Mas se você não gosta que deem pitaco na sua vida, não se incomode em dar na minha também! Entrarão para um ouvido e sairão pelo outro. Simm! Vamos ver muitas coisas maravilhosas quando ele nascer e uma delas é adapta-lo ao nosso estilo de vida, afinal ele é o nosso filho.

O mais importante que acho que as pessoas precisam entender sobre “escolhas” é que, não é por que eu não gosto ou aprovo as mesmas coisas que a “maioria” quer dizer que eu condene, pelo contrário apoio o que cada um acha melhor. Eu apenas não quero ir pelo comum, gosto das minhas regras, dos meus gostos da minha vivência. Afinal, diversidade é isso!

Ainda bem que tenho pessoas (poucas) que aprovam essa nossa escolha e entendem perfeitamente! Estamos pensando em talvez, mas muito talvez (depende do humor, da posição da Lua, da preguiça..) em fazer um lanche algo parecido para comemorar a chegada do bb, juntar os amigos, mas sem presentes, sem nome e sem avisar que é para isso e sim com muito amor, carinho, harmonia e boas vibrações, por que é isso que queremos para o nosso filho!

Termino este texto reafirmando que não tenho nada contra chás, vou, me divirto, aproveito, é apenas uma escolha nossa! Então, não fiquem em dúvida de me chamar! Rsrs