AQUELAS coisas que não me contaram sobre a gravidez!

AQUELAS coisas que não me contaram sobre a gravidez!

Eu já li pelo menos uns 15 textos exatamente com esse tema “Coisas que nunca te contaram sobre a gravidez” e sinceramente, tudo que é falado é metade do que realmente acontece com a gente. Aqui, entre as minhas amigas eu costumo fazer um “maternidade real” e as vezes por Whatsapp conto algumas coisas que passam comigo, caímos na risada (algumas até trágicas rsrs), mas é sempre bom ser verdadeira. Eu nunca, nunca entendi porque esconder esses tipos de experiências, mostrar só o que é lindo ou só o básico desses 9 meses, sem contar que 99% das minhas amigas que já tiveram filhos simplesmente esqueceram tudo que passou com elas. Por exemplo, acompanhei amigas grávidas que enjoaram muito e que agora falam pra mim “Ah nada, quase não enjoei”, então achei melhor fazer um sincerão vai que eu pego essa amnésia ai também!

1- Enjoos
Sim, eles existem! Se você não passou por eles está na hora de Glorificar de pé. E não é um enjoozinho leve que você fica numa boa, igual as vezes acontece quando você come algo ruim, ou acorda mesmo de mal estar. É uma bomba, que vem do nada, te destrói. Você não tem pra onde correr e nem o que tomar. Fora os vômitos, que as vezes não tem nem como segurar. E ainda por cima tem que aguentar as pessoas “com 3 meses vai sair como uma luva”, bom, no meu caso só passou no final do 5o mês e até hoje tem dias (hoje foi um deles) que acordo com esse mal estar horrível.

2- Cansaço
É verdade sim, quando a gente descobre que está grávida logo no começo, aparece um cansaço avassalador, não é uma coisa de leve é algo que não da para manter os olhos abertos, uma vontade de ficar jogada no sofá o dia inteiro. Isso dura pelo menos uns 3 meses, e é assustador, ainda mais no meu caso que sou dessas que 3 da manhã resolve faxinar a casa e as 8 está de pé.

2- Alergias
Dizem também que na gravidez podemos desenvolver alergias que nunca tivemos. Eu como fui premiada, logo no 5o mês peguei uma alergia nos olhos muito ruim, até hoje não sei o que causou, se foi algum alimento, ou suco, mas foi horrível. É sempre bom ficar de olho nos alimentos e produtos que a gente usa, por que como grávida não pode tomar remédio é tudo mais complicado.

3- Sangramento Nasal
Oi? O que? Pois é, mais comum do que se imagina e obviamente eu tive (e ainda tenho de vez em quando), como o nosso fluxo sanguíneo aumenta bastante pode ser que ocorra a ruptura dos vasinhos do nariz e ai é um mar de sangue, de verdade! Comigo na maioria das vezes acontecia no banho ou na parte da manhã, a gente assusta mas depois acostuma. Ainda acontecem mas agora são ocasionalmente. Caso seja muito constante e muito forte pode ser que a grávida precise de uma cauterização simples nas veias, procedimento super rápido de ser feito.

4- Azia
Para ser bem sincera, eu não sei o que é, por que essa eu não tive, mas nunca tive mesmo não estando grávida, mas vamos adicionar a lista de sintomas por que as pessoas costumam ter bastante.

5- Desejo de Grávida
Também não tive tantos e coisas esquisitas, tive algumas vontades de comer milho, pipoca doce, canjica, muita coisa envolvendo milho, mas nada de tijolo kkkk. Mas é um item importante da lista!

6- Seios
Nossa!! Sim, sempre soube que eles aumentavam e que escureciam. Mas meu Pai amado! Não é assim uma escurecidinha é uma coisa que parece que tiraram o nosso peito e colocaram outro de lugar. E não é só o peito “peito” que cresce a auréola também, assustadora o tamanho que fica! E a dor? No começo da gravidez é uma dor absurda, de não conseguir encostar, depois da uma aliviada, mas depois dói tudo de novo!

7- Escurecer
É minha gente, já que é um sincerão, não é só o peito que escurece não viu? Umbigo escurece, axilas (as minhas bem pouco mas noto a diferença) e também alguns “orifícios” hahaha do corpo. Tudo “ali embaixo” muda, tanto na parte da frente como na de trás. Aposto que nenhuma amiga te falou isso né?

8- Pubis
Ainda nos assuntos “lá de baixo”, outra coisa que ninguém me contou é que quando a gente chega no final da gravidez o ossinho do pubis dói, mas dói muito e dói o dia inteiro, acordada, dormindo, sentada, andando, a sensação é como se alguém tivesse com um hematoma desses roxos ali e ai alguém com o dedo apertando super forte o dia todinho! Ainda nessa região, outra coisa importante é que principalmente as grávidas do verão como eu, a gente fica suando o dia todo, já não basta o corpo todo mas “lá” fica super suado também.

9- Xixi
Essa é fácil, todo mundo sabe que grávida faz muito xixi. MUITO! Muito mesmo. Mas alguém te falou que as vezes escapa que você nem percebeu? Esses as vezes, são muitas vezes! Que você só percebe quando vai no banheiro e ai vê que “molhou”? Não é fácil não!

10- Sono
Se tem uma coisa que eu odeio é essa frase “aproveita para dormir agora antes do bebe chegar”. Really? Vamos lá, nos primeiros meses você ta enjoada e com dor nos seios, nos outros o xixi aumenta, depois a dor nos seios volta, ai a barriga vai ficando cada vez maior e mais difícil de se mexer na cama deitada. Dormir? O que é isso? Eu nunca fui de dormir muito, no máximo 5 horas por noite, se dormir 6 horas ja acho até que estou doente. Mas, acho que não dormi mais do que 4 horas por noite depois de engravidar, acordo absolutamente a noite todinha e quando finalmente consigo dormir, é hora de fazer xixi de novo, ou o bebê resolve mexer e mudar de posição. Então, PAREM de falar isso para as mães.

11- Dor nas Costas
No comecinho da gravidez é normal sentir uma dor nas costas sutil, mas a partir do 7o mês parece que um caminhão passa em cima da gente todos os dias. Não é uma dorzinha, é DOR, dor de verdade. As costas doem, as pernas doem a vontade que tenho é que alguém me puxe cada um em um braço e cada perna até colocar tudo no lugar. Dizem que massagem ajuda muito, porém a maioria dos lugares sérios, só fazem em grávidas a partir do 6o mês com autorização do médico.

12- Cansaço Parte 2
Depois de um certo tempo tudo cansa, andar cansa, sentar cansa, deitar cansa, tudo cansa! Tem dias que da vontade de correr a São Silvestre, mas ai só de você trocar de roupa já acabou a energia. Banho então, é a chave de ouro para acabar a energia, ainda mais se você for como eu que sempre seco o cabelo, então o banho já considero como um exercício físico aqui em casa. E ai você olha no APP da gravidez ele diz “Se não está se sentindo bem, vá caminhar!”, da vontade de jogar o celular longe, quem fica bem caminhando nesse estado?

13- Mexidas do Bebê
Eu nunca disse que seriam só coisas assustadoras no post né? As mexidas são maravilhosas, realmente é uma sensação única que aumenta cada vez mais. Com 15 semanas comecei a sentir o Bruno mexer e com o passar das semanas foi ficando cada vez mais intenso. Mas, ninguém tinha me avisado que é só a gente pegar o celular para filmar que eles param! Como podem ser tão geniosos?

14- TPM
Como assim? É, todo mundo fala que a gente fica sensível, que chora por tudo. TPM é nível UM e a gravidez é tipo nível DUPLO TWIST CARPADO em variação de humor. Sim, realmente ficamos emotivas! Mas ninguém me disse que emotiva seria pouco, comparada a versão de Darth Vader misturada com Godzilla que de vez em quando eu me transformo. A irritação aumenta, a paciência diminui. Coitado do marido, que não reclama em respeito da situação, acho que a única coisa nesses 8 meses de gravidez que ele disse UMA vez foi “Trocou a ferradura hoje?”. Até ele não aguentou!  Hahaha E ai você percebe o quanto que exagera na dose, apesar de algumas vezes merecer.

15- Peso
Vamos pular para o próximo!

16- Planos
Ninguém me contou que é impossível fazer planos grávida. Um dia estamos maravilhosamente bem, no outro um bagaço. Nada muito específico é planejável. As vezes parece até desfeita, mas realmente não é. Ai o tempo vai passando e eu começo a ficar desesperada pensando “Nossa, preciso ir em tal lugar, por que quando o bebê chegar não vou conseguir ir” então parece que você é uma bomba relógio cheia de objetivos e todos muito difíceis mesmo sendo fáceis.

17- Mão na Barriga
DETESTO! Se tem uma coisa que não gosto é isso. Mal deixo as pessoas que tenho intimidade passar a mão na minha barriga, imagina desconhecidos? Que mania é essa das pessoas virem te acariciar! Acho muito estranho, muito mesmo. Nunca fui de passar a mão na barriga de ninguém, nunca entendi isso, gente É BARRIGA! OK?

18- Dores
Nunca ninguém tinha me dito que gravidez envolvia tanta dor, não só dor do parto, mas dor em geral. É dor nos pés, dor nas pernas, dor nas costas, dor na barriga, no pé da barriga, dor na costela, algumas cólicas, pressão que cai, náuseas, enjoos, seios doloridos. Poxa, é uma lista tão grande!

19- O mesmo assunto
As pessoas, em todo lugar, em todo momento vão sempre te fazer as mesmas perguntas: “é menino ou menina?”, “quanto tempo você está?”, “é pra quando?”, “vai ser normal ou cesárea?”, “Qual é o nome?”, “você está enjoando muito? (isso vão te perguntar desde o dia da descoberta até a hora do parto). Da vontade de gravar num gravador! Gente, as grávidas também podem falar de outros assuntos tá?

20 – Estrias
Se você tiver pré-disposição genética, você vai ter estrias. No peito, na barriga, nas costas ou em todos esses lugares. Não adianta se lambrecar de óleo de coco e o escambau. Se está escrito no seu código genético que você vai ter estrias, Maktub! Aqui não tive muitos problemas mesmo eu sendo gordinha, mas optei pelos produtos mais indicados do mercado e ainda bem que deram certo!

21 -Aberta a Mudanças
Nada, nada conseguimos planejar. É importante estarmos abertas as mudanças, não adianta fixar em parto normal, em cesária, em amamentar ou não, em educação, florear tudo, pois no dia a dia tudo é muito diferente. Eu por exemplo sempre falei “se um dia tiver filho vou fazer cesária”, porém no minuto que descobri que estava grávida tive a certeza que queria parto normal. Mas ainda não pari! Então não adianta insistir para se frustar depois. O que vier, o que for para o bem, o que não estressar e o que não te machucar é sempre a melhor opção, seja de parto, de amamentação, de educação, de dia a dia.

22- Gente Chata
Sempre soube que a gravidez vinha com um pacote extra de “pessoas que adoram dar pitaco”. E não é pouco, é pitaco todos os dias, todas as horas vindo de todas as direções. O que me ajudou muito foi, eleger DUAS pessoas que amo, que tem experiência e somente dar ouvidos a elas e tirar minhas dúvidas também. O resto é resto, falam e entra por um ouvido e sai pelo outro. Para todos é muito fácil falar “Ahh manda a mer**!” mas quando você sente na pele, não é tão fácil assim. Então saiba que, quando você engravida, todos os palpiteiros engravidam junto e eles tem sempre a melhor opinião, sempre sabem mais, sempre tem uma especialidade. Respira fundo e vamos que vamos!

 

E agora? Ah agora vem o amor!

Junto com toda a lista, vem um sentimento mágico, um AMOR, uma esperança. A gente se sente amada, bem cuidada, por que todo mundo respeita uma grávida. E ai mesmo estando naqueles dias que tudo da errado, nos sentimos especial. E fora isso, são as horas e horas do dia pensando nessa vida que estamos gerando dentro da gente. Eu até hoje não consigo acreditar de verdade que tudo isso está acontecendo. Mas ao mesmo tempo lembro que não é fácil, e não é fácil mesmo tudo isso.

A única coisa que digo de coração é, se você é daquelas que teve uma gravidez linda e dançou enquanto tinha contrações no hospital, ótimo! Mas não esqueça que pelo menos 2 ou 3 itens ou até mais dessa lista passaram por você! A maioria das pessoas sonham em engravidar, tem isso como meta e sei que é difícil para algumas pessoas assumir que “nem tudo são flores”, mas o que mais senti falta em todo esse tempo é das mães se unirem. Não só criticar, não só dar palpites, não só desejar que a amiga/conhecida tenha o mesmo sintoma que você teve. Cansei de ouvir “Nossa, se prepara que isso vai ser pior, você não viu nada ainda” (e na maioria das vezes não foi pior assim). Esse não é o melhor jeito de compartilhar experiências! Resolvi escrever esse post e contar tudo que realmente não me contaram e não vi nenhum lugar falando disso, isso não quer dizer que todas as grávidas tiveram, ou vão ter, são as minhas experiências e pelo contrário, desejo que você tenha somente um item dessa lista durante toda a gravidez!

Também descobri que está tudo bem não amar isso tudo de gravidez!

As pessoas parecem ter esse desejo de lembrar as mulheres grávidas que é a melhor experiência que se pode ter. Acho que por isso que minhas amigas esqueceram de tudo que passaram! Trazer vida ao mundo é algo magnífico, mas isso não significa que a gravidez é maravilhosa. Não há nenhuma dúvida de que o que está acontecendo em seu corpo é realmente incrível, mas seria bom ter um conselho sobre o quão desagradável isso pode fazer você se sentir às vezes. Não me acho uma péssima mãe, pelo contrário, já amo meu filho absurdamente e nem consigo pensar no tamanho do amor que ainda vai crescer, porém quero é ter meu filho nos meus braços e viver a vida com ele aqui, sem ter amado tudo que vem junto com a gravidez. Sempre digo, que por mim, a gravidez poderia durar 1 mês e ótimo! Deus, ajuda nóis!

Pode lavar Roupa de Bebê na máquina? Deve!

Pode lavar Roupa de Bebê na máquina? Deve!

Enrolei, enrolei, enrolei mas finalmente consegui parar e começar a lavar as roupinhas e cobertas do Bruno. Porém, como tudo na “Vida de Mãe” você não consegue fazer sem ter pitacos, obviamente vieram todos os pitacos possíveis:

  • Mas você não vai lavar as roupas a mão?
  • Ahhh mas as roupas precisam ser lavadas no tanque
  • Mas você não vai usar amaciante?
  • Mas você não vai usar sabão de coco?
  • Mas você não vai passar para matar os micróbios?

E óbvio que tiveram mais, mas confesso que nem lembro de metade. Então, pensando nas minhas amigas gravidinhas e nas possíveis dúvidas que possam surgir resolvi escrever esse post. E começo com a seguinte frase:

VOCÊ SÓ NÃO PODE, COMO DEVE LAVAR AS ROUPINHAS NA MÁQUINA

E vou explicar por que…

Nunca entendi essa fissuração por querer lavar roupa com a barriga no tanque, gente a máquina é tão prática tem ciclo para praticamente tudo. Fora o trabalho, a canseira. Sai fora! Rsrs. Então, para não dar ponto sem nó e ter o que responder, fui atrás de textos, opiniões e dermatologistas e todos, leia TODOS asseguraram que a melhor opção é a lavagem na máquina.

Nossa!!! Mas minha vó, minha mãe, minha vizinha… bom, sua vó, sua mãe eu não sei o que pesquisaram, mas a questão é que, a máquina tem uma capacidade trilhões de vezes melhor do que nós de lavar as roupas e ainda por cima fazem enxágues completos durante as lavagens. Quando lavamos as roupinhas a mão, elas infelizmente não ficam livres de resíduos dos sabões e amaciantes que usamos. Então é muito mais propício um bebê ter alergia ou irritação à uma roupinha lavada à mão do que uma na máquina. Got it? Será que por essa lógica as pessoas vão parar de colocar certas coisas na cabeça e começar aproveitar das maravilhas da vida moderna?

Fui logo fazer o teste.

Importante lembrar, não é por que a roupa esta “cheirosa” cheia de cheiro de sabão que ela está limpa. Muitas vezes isso quer dizer que ainda tem muito resíduo e o sabão não foi devidamente retirado, bem como o amaciante. No caso dos bebês, o ideal é que a roupinha tenha um cheiro muito sutil ou nenhum cheiro, por isso é bom sempre checar o sabão ideal para esse tipo de lavagem.

Com quantas semanas você lavou as roupinhas?

O indicado é que se lave a partir da 30a semana, eu lavei com 32-33 semanas, mas confesso que foi por preguiça, perdi muitos finais de semana de Sol e ai tive que lavar no último final de semana que só choveu. Mas tá valendo. Eu acho que se eu tivesse lavado com 30 semanas teria até mais pique para tudo, a sorte é que meu marido participa de tudo e ai fazemos tudo junto aqui em casa.

Qual máquina e qual ciclo você usa?

Tenho uma Lava e Seca da Samsung, o que já é uma vantagem na hora de lavar, diferente das máquinas antigas, essas máquinas de abertura frontal não possuem os dentes o que faz com que as roupas não estraguem. Minha máquina tem um ciclo chamado “Roupas de Bebê”, mas já logo falo que não indico. A primeira leva de roupas coloquei nele, meu Deus, era um ciclo de 2 horas e 40 minutos, tudo isso por causa dos enxagues, temperatura das roupas e também a centrifugação. Então o que fiz foi o seguinte, criei um ciclo meu, para as roupas do meu bebê. Programei ele mais ou menos assim: temperatura 30 graus (ou menos, nas roupinhas vem dizendo a temperatura, mas mais do que 30 encolhe as roupas, fiquem atentos), 3 enxagues e 1 centrifugação na potência 400 (as máquinas costumam ter, 0, 400, 800 e 1200 de potência para escolher). Achei melhor a potência da centrífuga ser a mais leve para não danificar as roupinhas.

Caso a sua máquina não tenha esses ciclos, tenha os dentes o meu conselho é, basta colocar no ciclo de “Roupas Delicadas”, adicionar um enxague final e pronto! Ah! E se quiser, pode usar aqueles saquinhos para roupas delicadas que evita que as roupas prendam nos dentes.

O que você colocou para lavar?

Gente, TUDO, absolutamente tudo! Coloquei os forros do bebê conforto, todo o tecido do carrinho, toalhas, cueiros, mantas (sim, as de crochê também), bodys, macacões, calças, blusinhas. Tudo, sem dó! Fui que fui! E ficou tudo perfeito, maravilhoso e com o cheirinho suave. A única exclusiva peça que não coloquei foi um casaquinho de tricô feito pela minha cunhada, estes itens “handmade” não temos como garantir. Esse foi na mão, mas também uma lavagem muito sutil e sem frescurite, molhou, passou sabão e enxaguou e ta pronto!

Eu acredito no seguinte: se a roupa estragou na máquina é por que ela não presta e ia estragar a mão também. Aqui coloquei tudo, até os bodys mais delicados e saíram como se estivessem novos, até os mais fuleirinhos estão impecáveis.

Que sabão você usou?

DREFTAqui em casa usamos esse sabão “Dreft”, ele praticamente não tem cheiro nenhum, super suave, comprado em uma promoção no Sam´s Club. Pelo que procurei saber sobre ele, é um dos poucos que só de você jogar na máquina ele já tira manchas, não precisa ficar no esfrega esfrega. O que optei aqui em casa foi de não usar amaciante, esse sim é um risco imenso de dar alergia e também não quis usar sabão de coco. Eu particularmente acho o sabão de coco muito oleoso e faz com que as roupas durem menos, apesar de ser delicado, mas ele é um sabão que por si só é gorduroso. Então estamos nos adaptando ao Dreft que por sinal é feito para “Newborns” e também tem um especial a partir de alguns meses de idade. Eu imagino que esse segundo tenha mais cheirinho e etc. Ah! E a medida é UMA COLHER DE SOPA, isso já usamos aqui em casa no geral para todas as roupas, não tem necessidade de mais do que isso para lavar.

E depois?

Depois das roupinhas limpas, coloquei elas na gaveta, organizei de uma forma lógica para mim e também já separei dentro da malinha as roupinhas da maternidade. Optei por não por em saquinhos ou forrar por que a gaveta da cômoda fica fechada e livre de entrar poeira ou bichinhos. Ah! Importante, eu lavei as roupinhas RN e de 0 a 3 meses. Provavelmente antes do Bruno nascer devo lavar de 3-6 meses, passa tão rapidinho e não tem por que deixar tudo mais prático, não é?

Pode lavar as roupas do bebê junto com as da casa?

Não. Definitivamente não. O bebê tem uma pele muito sensível, nós usamos outro tipo de sabão fora os cremes, perfumes que deixam resíduos na nossa roupa, se batermos tudo junto vai se misturar a roupinha do bebê e pode dar algum tipo de alergia.

 

A lavagem de roupa do bebê e aqui em casa ainda por cima das fraldas ecológicas vão fazer parte do dia a dia da casa e de nós, mães por muito tempo. Por isso que, temos que fazer da forma mais prática possível. Eu optei pela praticidade, além das questões dermatológicas, pela funcionalidade e otimização do tempo, que ao invés de ficar com a barriga no tanque, a máquina faz o trabalho dela e ai terei mais tempo livre para o meu filho. 

A polêmica das Fraldas de Pano Modernas!

A polêmica das Fraldas de Pano Modernas!

Você sabia que uma fralda descartável demora 450 anos para se decompor? Fazendo uma conta rápida, tendo como base a expectativa de vida do brasileiro divulgada pelo IBGE em 2015,  de 75,2 anos, precisaria de no mínimo 6 gerações para que uma fralda descartável descartada sumisse do planeta. Isso mesmo, 6 gerações!

A grande maioria das pessoas quando falo “fralda de pano” imagina aquele pano branco esticado no varal, tudo branquinho preso com alfinetes. Mas gente, o mundo evoluiu! As fraldas de pano hoje são chamadas de: fraldas de pano moderna. E são exatamente essas ai da fotinho do post. Elas não precisam de alfinete, elas acompanham seu filho até o desfralde, além de lindas e totalmente adaptáveis para cada bebê.

Além da praticidade e consciência uma coisa que me fez optar pelo uso foi o alto índice de alergias que as fraldas podem causar e também o fato de pensar “Se eu não aguentaria usar um absorvente todos os dias por 3 anos, por que eu teria que fazer isso com o bebe?”. Fiz esse post para tentar “desmistificar” essas fraldas, elas não são um bicho de 7 cabeças e sei que a desconfiança de muitos não vai acabar, por isso que antes de criticar é bom se informar!

 

– Ahh mas Renata, as fraldas de pano (modernas) gastam água e luz, também né? (Os palpiteiros em ação).

Sim, gastam! Claro que essas fraldas vão consumir recursos naturais como a água e luz na mesma hora que você for lavar as roupas, porém nada comparado com o estrago ambiental que uma fralda descartável tem desde o início da sua produção até o descarte.

 

– Hum…

Pois é, o mesmo cuidado que devemos ter com as nossas roupas na hora de lavar, como esperar encher a máquina e tudo mais é a mesma consciência na hora de lavar as fraldas.

 

– Nossa, mas quero só ver você lavando essas fraldas! (é duro ter que ouvir essas coisas viu?)

Bom, vamos lá, você não tem que lavar as roupas do seu bebê? Estejam elas sujas de papinha, de xixi, de vômito de cocô, ou limpas? Então, funciona da mesma forma. Ou você não lava? Para você entender melhor, a fralda de xixi depois de usada você armazena ela dentro de um balde tampado até a próxima lavagem. Se tiver cocô, você joga o excesso do cocô no vaso sanitário e só juntar com as outras até a próxima lavagem. E o sabão? É o mesmo que você usa para as suas roupas.

 

– Mas e os vazamentos?

Ué, fralda descartável não vaza? Que fralda é essa que nunca vi? Os vazamentos são exatamente os mesmos de uma fralda descartável, podem acontecer, como não podem acontecer, isso vai de cada bebê, o fluxo dele, a diferença é que você pode adaptar a fralda deixando ela mais “forte” para segurar os vazamentos sem ter que comprar um monte de marca diferente e testar.

 

– Mas uma fralda de pano custa em média R$40,00! Não compensa!

Compensa sim senhora! Estima-se que uma criança de 0 a 3 anos usa em média 5.000 fraldas descartáveis, ou seja R$ 5.500,00 (fazendo uma conta bem modesta) e sem contar pomadas e afins (pois a fralda de pano não necessita pomada em 98% dos casos). Para uma criança de 0 a 3 anos você precisa de no máximo 30 fraldas de pano modernas, em média R$ 1.500,00. Já contando o valor de fraldas e os absorventes. Uma boa economia não? Quanto a energia elétrica e água funciona assim:

  • Considerando 36 meses de consumo (lavando as fraldas a cada 2 dias) umas 15 por mês, sendo 15 fraldas por lavagem, na lavadora Eletrolux Turbo ECOnomia de 8 kg de capacidade.
    • Consumo água sem lavagem de fraldas em 36 meses: R$ 1.030,32
    • Consumo água com lavagem de fraldas em 36 meses: R$ 1.118,16
    • Consumo energia sem lavagem de fraldas em 36 meses: R$4.390,56
    • Consumo energia com lavagem de fraldas em 36 meses: R$ 4.598,28

Comparando o custo das fraldas + consumo de energia elétrica e água:

Enxoval + custo de energias renováveis durante 36 meses:
R$ 1.824,50 + R$ 87,84 (água) + R$ 207,72 (Energia Elétrica) = R$ 2.120,06

Fraldas descartáveis em 36 meses:

R$ 4.920,00 jogados no lixo
1 tonelada de lixo descartada incorretamente
5 árvores derrubadas
Milhões de litros de água para serem fabricadas
Muitos KWh consumidos.

(dados do blog “Chikita Bakana)

– A fralda é fedida, quando você estiver fora de casa como funciona? (única pergunta sensata que ouvi de todas)

Essa foi a única pergunta sensata que ouvi, da minha cunhada que por sinal é uma das únicas (se não for a única) que apoia e respeita a minha decisão. Ai fui atrás da resposta pois me preocupou, já imaginou andar com uma fralda fedida por ai? Ainda mais quando fralda suja é jogada no lixo comum fica um cheiro horrível e a de pano não dá para descartar! Fui atrás das respostas, fiquei sabendo que existe um saquinho impermeável (que já temos por sinal) que você armazena a fralda lá quando estiver fora. Ele é feito justamente para isso, para o cheiro não escapar, diferente de sacolinhas de mercado que deixam “suar” e o cheiro passa. Ou seja! Tem solução para tudo, tudo isso já foi pensado!

 

Ao longo dessa escolha já ouvi todo tipo de comentário como: “pago pra ver você lavar fralda!” ou “quero só ver quando seu filho fizer um cocô até o pescoço”. O que eu digo para essas mães é o seguinte: quando seu filho faz cocô até o pescoço o que você faz? Larga ele lá sujo? Pois a impressão é essa! Se meu filho fizer (e sabemos que vai fazer), pretendo limpa-lo, trocar de roupa e lavar a roupa suja de cocô e a fralda também! Queria muito entender o que essas mães fazem de tão especial quando isso acontece! Não limpam o filho? Jogam a roupa fora? Esperam alguém pra dar banho? Vai entender…

Agora eu que pergunto: e aí? Qual defeito você irá por agora? Eu fiz o meu dever de casa! Me informei, fui atrás, conheci pessoas que usam e amam e optamos por usa-la e estamos nos informando da melhor maneira possível. Se você não tem conhecimento, não conhece, nunca viu ou nunca conviveu com ninguém e quer opinar, tem algo errado ai. Ou seja, antes de criticar, se informe!

bebe-sem-lixo-zero-fraldas-de-pano-varal